Uma série de erros, resultou na morte de Laís Andrade Fonceca de 30 anos, que foi assassinada pelo ex-companheiro dentro de uma viatura da Polícia Militar na noite deste sábado (7). Os dois policiais que estavam no carro da PM vão responder por homicídio culposo.


O crime aconteceu quando a mulher era conduzida, junto com o ex-companheiro, para prestar queixa após descobrir que o homem havia instalado uma câmera dentro do banheiro da casa dela.  Colocados juntos na viatura, o homem, de 34 anos, atacou a mulher com uma faca, depois golpeou o próprio pescoço e saltou da viatura. Ele foi capturado e preso, já a atendente não resistiu aos ferimentos e morreu ainda dentro do veículo.

Ao ser questionado, o homem disse que instalou os aparelhos porque desconfiava que a mulher estaria em um novo relacionamento.

Segundo o comando do 19º Batalhão da Polícia Militar, além de serem afastados, os PMs também vão responder a processos de caráter administrativo e penal. “Eles vão responder por negligência e omissão. Negligência por não cumprirem os procedimentos padrões na revista do conduzido. E omissão por permitirem que a vítima e denunciado fossem levados no mesmo compartimento da viatura”, esclareceu o comandante da Polícia Militar de Teófilo Otoni (MG), tenente coronel Fábio Marinho dos Santos.
Com informações do G1