Governador criticou oposição, que entregou documento pedindo presença das Forças Armadas
 no Estado
O governador Paulo Câmara (PSB) criticou, nesta quinta-feira (21), o pedido da oposição para a convocação da Força Nacional para Pernambuco. Para o socialista, o pedido tem como objetivo eleitoralizar o debate da violência, prejudicando o andamento das ações desenvolvidas pelo Estado.
 
“Eu como governador de Pernambuco, de maneira nenhuma, vou eleitoralizar isso. O que é que a gente vê com essas pessoas que pedem a Força Nacional é que eles querem eleitoralizar um debate. Um debate que o povo pernambucano não quer. O que o pernambucano quer é policiais nas ruas e essa resposta nós estamos dando”, disse Paulo Câmara, pela manhã, na formatura de 1.500 policiais militares.

Para o governador, é preciso “tratar o tema com responsabilidade”. “Nós temos responsabilidade com o tema, nós temos responsabilidade com a população de Pernambuco e eu vou trabalhar para a população de Pernambuco e não apenas para uma minoria de pessoas que só pensam em eleições e que isso não vai contribuir nem melhorar com a questão da segurança”, acrescentou Paulo Câmara.

NOVOS SOLDADOS
Os 1.500 homens e mulheres que se formaram nesta quinta (21) estavam desde janeiro participando do Curso de Formação e Habilitação de Praças da PM. O governador Paulo Câmara garantiu, também, que a partir de segunda-feira (25), outros 1.300 policiais militares ingressarão na formação, além de 1.000 homens nas polícias Civil e Científica.
Com informações do NE10.