Para contratar Neymar, o PSG pagou ao Barcelona o valor da quebra de contrato: 222 
milhões de euros (R$ 821 milhões), o maior valor gasto na história para contratação de 
um jogador. (Foto: Arquivo)
Um novo capítulo da contratação de Neymar foi iniciado pelo FIFpro, maior sindicato de atletas do mundo, que acionará a Comissão Europeia para que seja investigada a transferência de jogador para o PSG. A entidade diz que a transação é ilegal, injustificada e antidesportiva.

“A FIFPro está convidando a Comissão Europeia a investigar o fluxo de dinheiro através de taxas de transferência no território da UE para entender seu impacto no equilíbrio competitivo na região”, informa.


A FIFpro acusa o PSG de desrespeitar o Fair Play Financeiro, criado pela Fifa para obrigar os clubes a gastarem somente o que possui em caixa. O recurso da compra de Neymar feito pelo PSG veio de terceiros.

Segundo a nota, esse acordo de Neymar causa um impacto danoso às finanças do futebol europeu, inflacionando o mercado. O sindicato dos atletas acrescenta que a riqueza precisa ser melhor distribuída entre os times europeus. A aquisição de Neymar representa uma concentração perigosa nas mãos de poucos clubes, diz o comunicado.
Fonte FolhaPress