Sem papas na língua, o vereador Ronaldo Souza (PTB) criticou, durante a sessão ordinária na Câmara Municipal, nesta quinta-feira (24), o andamento do processo que envolve a construção de um Shopping Popular nas redondezas do Palácio Episcopal em Petrolina.
De acordo com o parlamentar, a lei orgânica do município afirma que o Palácio Episcopal foi tombado pelo Poder Executivo, o que proibiria a construção no local, e que como legislador, apenas fará a lei ser cumprida.
“Não me interessa o desejo da igreja. Eu sou legislador e quero cumprir a lei. A lei orgânica diz que o Palácio Episcopal é histórico e não adianta dizer que não está registrado na Fundarpe. A carta magna do município de Petrolina é a lei orgânica. E eu peço respeito à lei e a mim que sou legislador. O patrimônio da igreja está sendo vendido. E eu estou procurando uma relação das áreas doadas pelo município para a igreja. Eu estou aqui para fazer e cumprir as leis”, disse.


Ronaldo disse ainda que o local será transformado em um camelódromo, caso o projeto avance e que não entraria em conflitos internos da Igreja Católica. “Nós vamos transformar um patrimônio histórico de Petrolina em um camelódromo, em um Shopping popular, tem tantas áreas. Se a igreja tem dificuldades, esclareça para a sociedade de Petrolina. Mas eu não vou entrar em conflitos da igreja, o que eu quero é proteção do patrimônio histórico”.

Waldiney Passos)