Registro do assalto a Brinks em fevereiro deste ano (Foto: Antônio Coelho/ TV Globo)
O suspeito de liderar uma quadrilha especializada a bancos e que roubou a sede da empresa de valores Brinks, Willames Aguiar Silva, de 24 anos era guarda de trânsito de Olinda desde 2011.

Segundo informações da Polícia Civil de Pernambuco, o acusado é um dos integrantes pernambucanos que faz parte da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Na casa dele, a polícia encontrou dinheiro, munições de vários calibres, veículos de luxo e um papel com o desenho da base da Brinks.

O próximo passo de Willames era entrar para a carreira política. Segundo a polícia, ele pretendia ser candidato nas próximas eleições. Ele e outros integrantes da quadrilha teriam relação de proximidade com partidos políticos e até já teriam financiado algumas campanhas municipais com dinheiro fruto de roubo.

O delegado João Gustavo Godoy, que apresentou nessa quarta-feira (2) a prisão de integrantes da quadrilha que roubou a Brinks, em fevereiro deste ano, disse que essa ligação do grupo com partneidos políticos continua sob investigação e não revelou detalhes do esquema.
Com informações do JC
(Inf. Blog do Waldiney)