parceiros

blogs

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Obras paradas e promessas não cumpridas são marcas do Estado em Garanhuns, revela o Pernambuco de Verdade


 

Obras paradas, promessas não cumpridas e serviços precários. Como nas duas primeiras edições do Pernambuco de Verdade, no Sertão do Pajeú/Moxotó e Agreste Setentrional, esses foram os principais problemas encontrados em Garanhuns e no Agreste Meridional, durante ação a Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), nesta quarta-feira, na região.

A primeira parada da Oposição foi o Aeroporto de Garanhuns, que teve a licitação anunciada em 2012 e 2013, com ambos os processos cancelados, e que foi prometida novamente em 2016, pelo governador Paulo Câmara. No local, os deputados encontraram uma equipe do DER, fazendo serviços de capinação, que segundo funcionários de táxi aéreo, tinha começado há poucas horas.

Na sequência, os deputados visitaram o terreno onde deveria ser construído o Hosppital Regional Mestre Dominguinhos, na BR-423, prometido por Paulo Câmara em 2014, e Hospital Regional Dom Moura que pela falta de uma segunda unidade tem funcionado de foram  sobrecarregada.

“É inadmissível que um hospital que atende 32 municípios atende  apenas casos de baixa complexidade”, se queixou o ginecologista Dimas  Carvalho, funcionário do hospital.  O questionamento foi reforçado  pela deputada Socorro Pimentel (PSL), também médica. “A sobrecarga na unidade compromete o atendimento e os casos de maior complexidade terminam precisando ser transferidos. Infelizmente, esse tem sido a  realidade que temos encontrado na saúde pública do Estado”, lamentou a parlamentar.


As visitas dos deputados incluíram ainda visitas ao IPA, que está há  três anos sem distribuir sementes, e, inclusive, com máquinas forrageiras repassadas pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário paradas em seu depósito; a unidade do Lafepe, completamente desabastecido de medicamentos; a unidade do Itepe, com cursos técnicos suspensos desde 2015; e o terreno do Parque de Exposições de Animais, que será desativado para dar lugar a uma escola técnica. “A desativação do parque é inadmissível para uma região que tem sua economia ligada à atividade pecuária e à produção de laticínios”,  criticou o deputado Álvaro Porto (PSD).

SEGURANÇA
 Na área de segurança, foi visitada a unidade local da Funase, que trabalha com uma superlotação de 30% e um déficit de 50% na quantidade  de agentes. São 120 jovens e uma capacidade para 85. Na visita também foi identificada a paralisação da obra da portaria, há dois anos. Obra, que segundo a direção da unidade, acabou de ser relicitada.

Também houve visita ao 9º Batalhão de Polícia Militar, que segundo seu comandante, o tenente-coronel Paulo César, é o maior do Estado, responsável pelo atendimento a 20 municípios. Entre as preocupações apontadas pelos parlamentares estão o déficit de 248 policiais no batalhão, a ausência de efetivo em três cidades (Paranatama, Terezinha e Palmeirina), além do crescimento da criminalidade.“Em 2016 foram registrados mais de mil casos de crimes contra o patrimônio em Garanhuns. Este ano, em três meses, já foram 260 casos. Em relação aos homicídios, foram registrados, até março, 21assassinatos, 40% do total de casos registrados em todo o ano de 2016”, destacou o deputado Silvio Costa Filho (PRB).

A agenda foi encerrada à noite, com a realização de uma plenária na Câmara de Vereadores de Garanhuns, que contou com a participação do prefeito Izaías Régis. Participaram da agenda os deputados Álvaro Porto (PSD), Augusto César (PTB), Edilson Silva (Psol), Júlio Cavalcanti (PTB), Priscila Krause (DEM), Socorro Pimentel (PSL), Silvio Costa Filho (PRB) e Teresa Leitão (PT)

( Ascom/Fotos: Arthur Marrocos).

Nenhum comentário:

MEU OLHAR VALE MAIS DO QUE MIL PALAVRAS

MEU OLHAR VALE MAIS DO QUE MIL PALAVRAS
87 9965 4353